O PROJETO

O Grupo Cravo Rosa surgiu com o objetivo de promover informações atualizadas sobre diversos temas que dizem respeito à saúde da mulher. Visto que, ainda, em pleno sec. XXI muitos assuntos que rodeiam o mundo feminino se mostram verdadeiros tabus. A saúde da mulher vai muito além do que se imagina. A OMS (Organização Mundial da Saúde) define saúde como um estado de bem-estar físico, mental e social, independente da presença de doenças.

Temas que pretendemos abordar:

  • Dor Pélvica Crônica;

  • Dispareunia;

  • Vulvodínia;

  • Vaginismo;

  • Infertilidade;

  • Dismenorreia;

  • Incontinência Urinária;

  • Gestação;

  • Parto;

  • Entre outros.

Desta forma, esperamos ajudar diversas pessoas a compreender cada situação, e também, orientar na busca por profissionais adequados.

CRAVO ROSA.jpeg
WhatsApp Image 2021-04-24 at 17.15.47.jp

PRÁTICA CLÍNICA

Na nossa prática clínica diária, tanto em ambiente privado como público, é comum nos depararmos com mulheres em busca de ajuda para tratar de dores relacionadas a região pélvica, lombar, lombo pélvica, quadril, entre outras.

 

Percebemos que à medida que nos aprofundamos nas perguntas, durante a anamnese, um quadro clínico mais complexo se desenha. Observamos que uma boa parte das queixas são secundárias ou associadas a outras alterações de ordem uroginecológicas, intestinal, sexual, do assoalho pélvico, além das questões musculoesqueléticas e miofasciais (aparelho locomotor). Muitas dessas mulheres apresentam um quadro complicado com diagnósticos indefinidos ou ausência de diagnóstico, como também, tratamentos incompletos ou inadequados causando prejuízo físico e emocional. Sendo assim, resolvemos juntar forças e conhecimento para ajudar quem precisa.

A Osteopatia pode ajudar de forma determinante, pois busca identificar alterações funcionais que vão desencadear ou manter sintomas. O Osteopata usa as mãos para diagnosticar e tratar as disfunções somáticas, compreende a relação entre estrutura e função e visa restabelecer a saúde. O olhar é holístico e centrado no paciente.

Importante saber que, no que diz respeito à saúde da mulher, é vital que haja uma abordagem interdisciplinar. Com esse foco, pretendemos, também, orientar com relação à necessidade de procurar outros profissionais como: ginecologistas, obstetras, fisioterapeuta pélvico, sexólogo, psiquiatra, nutricionista e psicólogos de acordo com a necessidade de cada um.

 

O Grupo é formado por duas Osteopatas D.Os (diplomadas em Osteopatia) e membros do Registro Brasileiro dos Osteopatas e parceiros.